21 de fevereiro de 2010

Medo de envelhecer



Não me venham com tretas a dizer que 75 anos é uma idade bonita.
Vivemos numa época em que se tenta combater a velhice com todas as armas possíveis (sorte dos cirurgiões plásticos!) e onde os idosos são apenas vistos como um fardo.
Também eu sou parte integrante dessa geração que tem medo de ser velho. Não são as rugas nem a osteoporose que receio, é a indiferença dos outros, o apenas sentir-me feliz quando fizer algo de útil. Viver numa angústia desmesurada sem já poder contar com o meu cônjuge. Ficar num lar à espera da morte, nadando horas nas recordações das glórias passadas, sem ninguém que me visite ou telefone.
Parece-me que agora, enquanto jovem, é mais fácil ultrapassar a solidão: ainda palpito esperança por tudo o que é caminho a rasgar. Mas (quase) ninguém faz projectos de vida para depois dos 35 anos, e a consequência é chegar-se lá sem objectivos, apenas com frustrações dos sonhos que não se realizaram (e que, devido a diversas condicionantes, são agora impossíveis de se concretizarem).
Resta o quê, aos 75 anos? A degradação física e racional acentua-se a partir desta idade. Não me consigo imaginar incapaz de andar cinco minutos sem me cansar, ou a babar-me pelos cantos dos lábios, sem conversa que faça qualquer lógica. Cenário cruel? Para mim sim, e muito, daí que só de o imaginar me arrepio.
Não seria preferível morrer-se mais cedo?


texto integrante do projecto «Fábrica de Letras» (clique no link da barra lateral direita)

5 comentários:

  1. Só até aos 35? E logo assim a partir dos 75?

    Concordo, mas mais tarde em ambos os períodos.

    ResponderExcluir
  2. Ajuda-me a levar o meu video ao grande ecrã! Para votar no meu video, basta carregar nas estrelinhas do canto superior direito desta página aqui.

    É possível votar mais do que uma vez.
    Basta aguardar um minuto ou dois e voltar a abrir a página.
    Muito obrigado pela atenção! :D

    ResponderExcluir
  3. Ajuda-me a levar o meu video ao grande ecrã! Para votar no meu video, basta carregar nas estrelinhas do canto superior direito desta página aqui.

    É possível votar mais do que uma vez.
    Basta aguardar um minuto ou dois e voltar a abrir a página.
    Muito obrigado pela atenção! :D

    ResponderExcluir
  4. Tenho 46 anos e muito mais para dar que tinha aos 25, não duvides. Tenho uma experiência que me ajuda e ajuda os outros, tenho a calma que só a idade dá e o conhecimento de anos de experiência. Tenho sonhos, objectivos e desejos. Não estou a morrer estou a renascer de dia para dia. Nós temos que saber viver sem desespero. É inevitável que envelheças e até poderás acabar só. Tens é que saber estar só, mesmo hoje. Ninguém deve nunca viver a contar com os outros porque terá uma vida triste. Os outros têm a vida deles e tu tens que saber viver por ti. Gostar de estar contigo. O que me atormenta é mesmo a incapacidade porque estar só, porem-me de lado não me preocupa. Gosto de estar só, de estar comigo, de que não incomodem o meu pensamento. Não gosto de ser perturbada. Dou-me muito bem comigo e é isso que tu tens que aprender: a dares-te bem contigo e com o mundo esteja ele a teu lado ou contra ti.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Quando somos novos, parece que somos velhos aos 75 anos, depois conforme vamos avançando na idade parece que essa linha vai ficando cada vez mais disfarçada. Lembro-me de em criança achar que a minha mãe com 40 anos era velha e agora tomara eu que a minha avó que fez este ano 80 ainda esteja cá alguns anos connosco porque felizmente está de boa saúde e não é fardo nem nunca será para nós.

    ResponderExcluir